início do conteúdo

Biodiversidade melhora produção agrícola, garante estudo que envolveu mais de 100 pesquisadores internacionais e o IFMT é um dos integrantes

Publicado por: Reitoria / 7 de Novembro de 2019 às 09:35

A pesquisa envolve mais de 100 pesquisadores ao redor do mundo, incluindo de seis instituições brasileiras (IFMT, UFBA, INPA, UnB, UFG e UFC)

Um estudo internacional publicado na edição de outubro da Science Advances mostrou que em paisagens heterogêneas — onde há maior variação de cultivos, cercas vivas, campos e árvores – apresentam uma maior abundância e diversidade de polinizadores e agentes de controle biológico que, por sua vez, aumentam a produção agrícola. Além disso, as monoculturas foram a causa de aproximadamente um terço dos efeitos negativos sobre a polinização devido à simplificação da paisagem (medida pela perda da 'riqueza de polinizadores'). Esse efeito é ainda maior em relação ao controle de insetos prejudiciais aos cultivos, onde a perda da 'riqueza de inimigos naturais' representa 50 por cento da consequência total da simplificação da paisagem.

O estudo intitulado “A global synthesis reveals biodiversity-mediated benefits for crop production”, teve como um de seus co-autores o professor doutor, Felipe Deodato da Silva e Silva do IFMT – Campus Barra do Garças. O estudo envolveu mais de 100 pesquisadores internacionais, dentre os quais pesquisadores de seis instituições brasileiras (IFMT, UFBA, INPA, UnB, UFG e UFC), que compararam  dados de 1.500 áreas agrícolas ao redor do mundo: de campos de milho das planícies americanas à plantios de canola no sul da Suécia, plantações de  manga na África do Sul, cereais nos Alpes e feijão no Centro-Oeste do Brasil, dentre vários outros. Foram analisados dois serviços ecossistêmicos: polinização e controle biológico de pragas.

Para o professor doutor Felipe Deodato da Silva e Silva, este estudo é importante para mostrar que a relação entre a agricultura e a natureza pode ser benéfica. Muitas pessoas pensam que a conservação da natureza é um empecilho para a produção de alimentos e esse estudo traz uma mensagem global de que os serviços prestados pela natureza tais como a polinização e o controle biológico de pragas, são relevantes para manter a produtividade de diversos cultivos. Dessa forma, a natureza também tem seu papel direto na geração de renda na economia.  

"Nosso estudo mostra que a biodiversidade é essencial para assegurar a provisão dos serviços ecossistêmicos e para manter uma produção agrícola elevada e estável", explica Matteo Dainese, biólogo da Eurac Research e primeiro autor da pesquisa. "Por exemplo, um agricultor pode depender menos de agrotóxicos para controlar insetos prejudiciais se os controles biológicos naturais forem incrementados por meio de uma biodiversidade maior na agricultura". Os pesquisadores recomendam a proteção dos ambientes cuja saúde é mantida pela biodiversidade e diversificar os cultivos e as paisagens o máximo possível.

"Sob as condições futuras das mudanças globais já em curso e eventos climáticos extremos cada vez mais frequentes, o valor da biodiversidade no meio rural vai se tornar ainda mais importante assegurando resiliência contra os distúrbios ambientais", destaca o ecologista animal Ingolf Steffan-Dewenter do Departamento de Ecologia Animal e Biologia Tropical da Universidade de Würzburg, o idealizador do estudo dentro do projeto 'Liberation' da União Europeia. "Nosso estudo fornece um forte apoio empírico dos benefícios potenciais de novos caminhos para uma agricultura sustentável com o objetivo de compatibilizar a proteção da biodiversidade e a produção de alimentos para uma população humana crescente”.

A professora Luísa Carvalheiro, da Universidade Federal de Goiás, foi uma das participantes do estudo e reforça que: "Estudos anteriores tinham mostrado que os serviços ecossistêmicos são essenciais para aumentar a produtividade de terrenos agrícolas. A principal novidade deste estudo é mostrar que a manutenção de ecossistemas com um elevado número de espécies silvestres de polinizadores e agentes de controle biológico (em vez de poucas espécies abundantes) potencia ainda mais a provisão destes serviços".

Blandina Felipe Viana, professora titular da UFBA, e uma das coautoras do estudo, comenta que “esse estudo vem confirmar o que alguns estudos de caso prévios já haviam apontado que a biodiversidade provê serviços essenciais para a agricultura, como polinização e controle de pragas, e que a adoção de práticas de manejo agrícola amigáveis à biodiversidade poderá trazer muitos benefícios para o produtor rural, inclusive financeiros”

Por fim, o professor Felipe ainda destaca que as pesquisas no Brasil foram financiadas por instituições públicas, tais como o CNPq, CAPES e as Fundações de Apoio Estaduais, por exemplo, a FAPDF que financiou a pesquisa de doutorado do professor, cujos dados foram incorporados ao estudo (Processo nº 193.001.311/2016, Edital nº 3/2016 ). Portanto, este é um estudo decorrente do esforço de instituições públicas financiadoras da pesquisa nacional, bem como, de vários professores e pesquisadores de instituições públicas de ensino.

A Revista Science Advance possui 3º lugar em fator de impacto, na área de multidisciplinariedade, ficando atrás apenas da Nature e Science. A revista possui Qualis B1 para Ciências Ambientais e Interdisciplinaridade, e Qualis C para Ciências Biológicas.

O estudo já foi publicado nos seguintes locais: 

https://www.eurekalert.org/ pub_releases/2019-10/er- bic101019.php

https://blog.nature.org/ science/science-brief/nature- improves-crop-production/

https://elpais.com/elpais/ 2019/10/16/ciencia/1571215886_ 049526.html

https://phys.org/news/2019-10- biodiversity-crop-production. html

https://idw-online.de/de/ news725147

https://news.mongabay.com/ 2019/10/biodiversity-boosts- crop-pollinators-and-pest- controllers-study-finds/

https://www.inverse.com/ article/60130-pollinator- biodiversity-farms
estudo-indica-que-preservar-a- biodiversidade-impulsiona-a- agricultura.shtml
https://www.cooxupe.com.br/... /estudo-indica-que.../

início do rodapé

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - Campus Cáceres - Prof. Olegário Baldo

Av. dos Ramires, s/n - CEP: 78200-000 - Caixa postal: 244

Telefone: (65) 3221-2600

Cáceres/MT